Pular para o conteúdo principal

Aécio diz que o 'natural' é PSDB apoiar Delgado e Luiz Henrique


O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), reafirmou nesta sexta-feira (30) o apoio do partido ao deputado Júlio Delgado (PSB-MG) na disputa pela presidência da Câmara e ao senador Luiz Henrique (PMDB-SC) na corrida pelo comando ao Senado. As eleições nas duas Casas serão no domingo (1º), quando tomam posse os parlamentares eleitos para a legislatura que começa este ano.

"O caminho natural do PSDB é fortalecer a candidatura do deputado Júlio Delgado, que é a candidatura que, ao meu ver apresenta, as melhores condições de garantir a independência fundamental que a Câmara dos Deputados não teve nos últimos anos. No Senado não é diferente, a candidatura do senador Luiz Henrique atende a essa mesma aspiração", disse o tucano, que participou de uma reunião de parlamentares do PSDB em um hotel de Brasília.

Delgado disputa com Arlindo Chinaglia (PT-SP), o candidato apoiado pelo governo, e com Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que tem dito que, se eleito, não faria um mandato de oposição nem de submissão ao governo de Dilma Rousseff. Também já anunciou que vai disputar a presidência da Câmara o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ).

No Senado, Luiz Henrique é visto como uma alternativa ao atual presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), que deve se candidatar à reeleição.

Para Aécio, as candidaturas que o PSDB defende evitarão que o Legislativo seja "acuado, submisso e, principalmente, submetido às vontades e orientações do Palácio do Planalto".

As negociações dos partidos em torno das eleições da Câmara e do Senado têm sido intensas nos últimos dias. Na Câmara, Delgado é o único candidato que se apresenta como de oposição. No entanto, parlamentares insatisfeitos com o governo têm conversado com Cunha, que desde o ano passado comanda um bloco informal de parlamentares insatisfeitos com o governo de Dilma Rousseff.

Aécio fez questão de ressaltar que o PSDB votará "em sua integralidade" em Delgado e que, aqueles que apostam em apoio de deputados do partido a outros candidatos irão "se frustrar".

O PSDB desde o final do ano passado assumiu um compromisso com a candidatura de Júlio Delgado, e o PSDB agirá como partido político. O PSDB não permitirá computações individuais, e qualquer um candidato que acha que poderá se fazer irá se frustrar. O PSDB votará em Júlio Delgado na sua integralidade, é o que eu espero", concluiu.

'Falência' do governo
Aécio, que disputou o segundo turno da eleição presidencial de 2014, fez críticas à gestão da presidente Dilma Rousseff e disse que o país assiste à "falência do governo". Ele deu a declaração quando comentava dados recentes das contas públicas e as denúncias de corrupção na Petrobras.

"Nós estamos assistindo no dia-a-dia o atestado absoluto de falência do governo. Esse governo que não tem sequer hombridade e dignidade de reconhecer os seus erros, que não se julga no dever de explicar para a população brasileira que o Brasil de hoje é diferente do Brasil cantado em verso e prosa na campanha eleitoral há poucos meses", disse.

Em seguida, o tucano voltou ao tema das eleições e disse que situações que o PSDB denunciava durante as eleições agora podem ser vistas de forma "cristalina" pela população.

"Infelizmente hoje o que o Brasil está provando é o veneno de um governo que agiu irresponsavelmente ao longo de todos os anos. Tudo o que nós denunciamos ao longo da campanha eleitoral hoje aparece para a população brasileira de forma absolutamente cristalina, seja em relação aos dados da economia, seja em relação aos dados fiscais do governo e seja em relação à corrupção da Petrobras", afirmou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entenda o que é o título Persona non grata

Diante dos votos contrários dos vereadores oposicionistas de Pau dos Ferros de não aprovar o título de "persona non grata" ao professor que criticou a cidade de Pau dos Ferros (veja aqui), venho esclarecer aos cidadãos e web-leitores o que significa esse título.
Persona non grata (Latim, no plural: personae non gratae), cujo significado literal é "pessoa não bem-vinda", é um termo utilizado em diplomacia com um significado especializado e judicialmente definido.
Sob a Convenção de Viena sobre as Relações Diplomáticas, artigo 9, um Estado pode declarar "em qualquer altura e sem necessidade de justificação" qualquer membro dos emissários diplomatas como persona non grata — i.e., não aceite (enquanto que persona grata significaria aceitável) — mesmo previamente à sua chegada ao Estado em questão. Geralmente, a pessoa é recambiada para a sua nação de origem. Caso isso não aconteça, o Estado "poderá recusar-se a reconhecer a pessoa como membro da missão&…

Prefeitura de Pau dos Ferros honra compromissos com os profissionais da educação

A Prefeitura de Pau dos Ferros realizou o pagamento retroativo do mês de janeiro referente a implantação do Piso Salarial dos professores municipais, além da primeira parcela do terço de férias, conforme havia sido prometido pelo prefeito Leonardo Rêgo durante a abertura da Semana Pedagógica.
A atual gestão já havia implantado no mês de fevereiro o Piso Nacional dos professores e, agora, mostrando compromisso com a categoria, realizou o pagamento retroativo. 
O valor total da folha do mês de março dos profissionais da educação, incluindo FUNDEB 40% e FUNDEB 60%, foi de R$ 878.256,73. 
O governo municipal, honrando o compromisso assumido com os servidores, alocou R$ 530.400,04 do Tesouro Municipal para complementar em sua totalidade a folha do mês de março da SEDUC.
A prioridade em manter os vencimentos dos servidores em dia, faz parte de uma organização financeira e um choque de gestão implantado pelo Chefe do Executivo, que mantém a postura de transparência na Administração.

Temer decide recriar Ministério da Cultura

O ministro da Educação, Mendonça Filho, informou neste sábado (21) que o presidente em exercício Michel Temer decidiu recriar o Ministério da Cultura (Minc).
O novo ministro será Marcelo Calero, anunciado na última quarta (18) como secretário nacional de Cultura. Ele deve tomar posse na terça-feira (25).
Com a decisão, a Cultura deixa de ser uma secretaria e não ficará mais subordinada ao Ministério da Educação.
A decisão de fundir as pastas de Educação e Cultura foi tomada com base no princípio adotado por Michel Temer ao assumir de reduzir o número de ministérios.
Diante dos protestos de parte dos artistas e de servidores do Ministério da Cultura, Temer já havia anunciado que, mesmo como secretaria, a estrutura da pasta seria mantida.
Nesta sexta-feira (20), edição extra do "Diário Oficial da União" publicou medida que dava status de "natureza especial" ao cargo de secretário da Cultura.
Agora, depois de ouvir artistas e representantes do setor, o presidente em exercíc…