Pular para o conteúdo principal

Indonésia resgata mais corpos e encontra cauda do avião da AirAsia


As equipes de resgate do avião da AirAsia, que caiu com 162 a bordo no dia 28 de dezembro no Mar de Java na Indonésia, confirmaram nesta quarta-feira (7) que um dos destroços localizados no fundo do Mar de Java é a cauda da aeronave. Agora, aumentam as esperanças de que as caixas-pretas sejam encontradas, segundo a imprensa local. A recuperação desses dispositivos é crucial para saber o que aconteceu com o voo QZ8501.

"Conseguimos recuperar uma parte do avião que era nosso objetivo", declarou Bambang Soelistyo, diretor da Agência Nacional de Buscas e Socorro, a jornalistas em Jacarta. "A cauda do avião foi encontrada", disse, segundo a France Presse.

A estrutura foi avistada por mergulhadores e por meio de submarinos robôs com câmeras, mas não foi retirada do oceano. Ela é o primeiro pedaço significativo da fuselagem do avião a ser identificado durante os trabalhos de buscas. Autoridades acreditam que a maioria dos destroços do avião está no fundo do Mar de Java, a pelo menos 25m de profundidade.

Os mergulhadores demoraram vários dias para poder submergir devido à força das ondulações e correntes marítimas. As equipes estão tentando confirmar se outros sete destroços avistados no leito marinho pertencem ao avião da AirAsia. "Soube que uma parte da cauda foi encontrada. Se for a seção correta, as caixas-pretas devem estar lá", disse o fundador e executivo-chefe da companhia aérea, Tony Fernandes, através do Twitter.

"Necessitamos encontrar todas as partes em breve para achar todos os passageiros e assim aliviar nossas famílias. Esta é ainda nossa prioridade", declarou Fernandes. Até o momento, as autoridades recuperaram 40 corpos em uma operação de busca que inclui dezenas de navios e aviões de Indonésia, Estados Unidos, Rússia, China, Malásia e Cingapura, entre outros. Segundo as autoridades, grande parte dos corpos provavelmente estão presos dentro dos destroços da fuselagem.

Apesar das operações de grande envergadura realizadas pela Indonésia com a ajuda de outros países, como França, Estados Unidos e Rússia, foram registrados poucos avanços pelo mau tempo, segundo as autoridades indonésias.

Autoridades indonésias indicaram anteriormente que cinco grandes partes da aeronave haviam sido recuperadas.

As autoridades indonésias suspeitam que a AirAsia Indonesia, filial da companhia malaia AirAsia, guiou o avião por um corredor de voo sem autorização. A companhia aérea teve suspensa na semana passada a autorização de utilizar o corredor Surabaya-Cingapura até o fim da investigação.


Membros da Marinha da Indonésia carregam assentos do voo 8501 da AirAsia retirados com mais escombros do Mar de Java, na chegada à base aérea de Juanda, em Surabaya


Acidente
O voo QZ8501 decolou da cidade de Surabaia, na ilha de Java, no dia 28 de dezembro e deveria ter aterrissado em Cingapura cerca de duas horas depois, mas caiu no mar de Java 40 minutos após partir.

A aeronave transportava 155 indonésios, três sul-coreanos, um britânico, um francês, um malaio e um cidadão de Cingapura, entre passageiros e tripulação.

O piloto solicitou à torre de controle para fazer um desvio à esquerda na rota e subir de 32 mil para 38 mil pés com o objetivo de contornar uma tempestade. A alteração de curso foi aprovada, mas a elevação negada porque outra aeronave já trafegava na mesma altitude.

Minutos depois, quando os controladores de voo tentaram entrar em contato para informar que o avião da AirAsia estava autorizado a subir até 34 mil pés, não houve resposta. A aeronave já havia sumido dos radares.

Em janeiro de 2007, um Boeing 737-400 da extinta companhia aérea Adam Air sofreu um acidente com 102 pessoas a bordo, a maioria indonésios, no mar de Java.

Os destroços foram encontrados dez dias depois e as investigações revelaram que os pilotos tinham desligado o piloto automático por erro enquanto tentavam resolver um problema no painel de navegação.


Imagem divulgada nesta quarta-feira (7) mostra destroços do avião da AirAsia que estão no fundo do Mar de Java, na Indonésia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entenda o que é o título Persona non grata

Diante dos votos contrários dos vereadores oposicionistas de Pau dos Ferros de não aprovar o título de "persona non grata" ao professor que criticou a cidade de Pau dos Ferros (veja aqui), venho esclarecer aos cidadãos e web-leitores o que significa esse título.
Persona non grata (Latim, no plural: personae non gratae), cujo significado literal é "pessoa não bem-vinda", é um termo utilizado em diplomacia com um significado especializado e judicialmente definido.
Sob a Convenção de Viena sobre as Relações Diplomáticas, artigo 9, um Estado pode declarar "em qualquer altura e sem necessidade de justificação" qualquer membro dos emissários diplomatas como persona non grata — i.e., não aceite (enquanto que persona grata significaria aceitável) — mesmo previamente à sua chegada ao Estado em questão. Geralmente, a pessoa é recambiada para a sua nação de origem. Caso isso não aconteça, o Estado "poderá recusar-se a reconhecer a pessoa como membro da missão&…

Prefeitura de Pau dos Ferros honra compromissos com os profissionais da educação

A Prefeitura de Pau dos Ferros realizou o pagamento retroativo do mês de janeiro referente a implantação do Piso Salarial dos professores municipais, além da primeira parcela do terço de férias, conforme havia sido prometido pelo prefeito Leonardo Rêgo durante a abertura da Semana Pedagógica.
A atual gestão já havia implantado no mês de fevereiro o Piso Nacional dos professores e, agora, mostrando compromisso com a categoria, realizou o pagamento retroativo. 
O valor total da folha do mês de março dos profissionais da educação, incluindo FUNDEB 40% e FUNDEB 60%, foi de R$ 878.256,73. 
O governo municipal, honrando o compromisso assumido com os servidores, alocou R$ 530.400,04 do Tesouro Municipal para complementar em sua totalidade a folha do mês de março da SEDUC.
A prioridade em manter os vencimentos dos servidores em dia, faz parte de uma organização financeira e um choque de gestão implantado pelo Chefe do Executivo, que mantém a postura de transparência na Administração.

Temer decide recriar Ministério da Cultura

O ministro da Educação, Mendonça Filho, informou neste sábado (21) que o presidente em exercício Michel Temer decidiu recriar o Ministério da Cultura (Minc).
O novo ministro será Marcelo Calero, anunciado na última quarta (18) como secretário nacional de Cultura. Ele deve tomar posse na terça-feira (25).
Com a decisão, a Cultura deixa de ser uma secretaria e não ficará mais subordinada ao Ministério da Educação.
A decisão de fundir as pastas de Educação e Cultura foi tomada com base no princípio adotado por Michel Temer ao assumir de reduzir o número de ministérios.
Diante dos protestos de parte dos artistas e de servidores do Ministério da Cultura, Temer já havia anunciado que, mesmo como secretaria, a estrutura da pasta seria mantida.
Nesta sexta-feira (20), edição extra do "Diário Oficial da União" publicou medida que dava status de "natureza especial" ao cargo de secretário da Cultura.
Agora, depois de ouvir artistas e representantes do setor, o presidente em exercíc…